Isso é Magis
03
mar

Produzindo novos neurônios!

Como assim produzir novos neurônios? Bom, um estudo foi realizado por Pesquisadores da Universidade de Jyväskylä, na Finlândia que afirmaram que a prática de correr pode aumentar a quantidade de células cerebrais, em ratos.

Colocando os roedores em três práticas diferentes fez com que fossem observados e detectassem que dentre correr, levantar peso e treinamento de alta intensidade, a corrida mostrou que os níveis celulares cerebrais cresceram e nas outras atividades esse mudança foi imperceptível.

Adaptando os exercícios a cada grupo, o primeiro corria espontaneamente três vezes na semana por 30 minutos. Os que levantavam peso, tinham o peso amarrado em seus rabos e eram submetidos a subir escadas e os últimos, corriam com arrancadas maiores e depois diminuíam, com aplicações de choques que os faziam correr no seu limite.

“De acordo com a pesquisa, o estresse pode estar relacionado com o fato das células não se reproduzirem nos outros casos. Tanto o levantamento de peso, quanto o treinamento de alta intensidade deixavam os ratos mais estressados.” – Exame.com

O estresse reduz a neurogênese adulta, enquanto a prática de correr por livre e espontânea vontade registraram o crescimento celular.

Quem sabe depois desse estudo você se inspira a correr! Nossos empreendimentos apresentam academias e outras áreas ao ar livre para correr ou praticar um esporte com os filhos. Nós, da Construtora Magis, estamos sempre pensando em seu bem-estar e qualidade de vida.
Acompanhe as nossas redes sociais e até a próxima notícia!

Magis-Residencial_Multifamiliar-Fitness-Outdoor-Pista-Cooper-Parklet-HR

03
nov

O ultramaratonista Fernando Pangaré bate seu recorde em Israel

Fernando Pangaré, ou Fernando Luciano Barros Xavier, cumpriu sua meta de terminar a prova em menos de quinze horas, apesar dos muitos desafios. Entre eles um engarrafamento inesperado em Madri, que quase o fez perder o voo para Israel. A solução foi, como sempre, acreditar em si mesmo e “usar as pernas”, conforme ele mesmo diz. Veja o vídeo em que ele próprio conta a aventura.

O recordista cearense de quilometragem acumulada (carioca mas cearense de coração) conseguiu chegar a tempo para pegar o avião, competir, e ainda bater o próprio recorde. A Magis tem muito orgulho em fazer parte dessa vitória.

12179687_10206626379754958_1750925636_n

A ultramaratona Suvev- Emek, realizada a 100 Km de Israel, é uma das provas de deserto mais difíceis do mundo. A prova tem três voltas de 33,3 Km, que passam por uma cadeia de montanhas. A largada é perto da madrugada, com um frio intenso, em uma situação muito específica. Pangaré conta que, neste trecho, é preciso correr com uma lanterna na cabeça, que dá a visão de aproximadamente dois metros à frente. Depois das 5h30, o sol aparece e, o clima muda: “ Começa a virar uma panela de pressão. São os extremos, ou é geladeira ou é maçarico”.

O preparo para enfrentar o mais recente desafio envolveu 12 provas em seis meses, incluindo maratona, meia-maratona e corridas de rua convencionais. Os treinos em Baturité foram para acostumar com a altitude. Pangaré usou a experiência dos anos passados para pensar na preparação.

A hospedagem também foi inusitada. Como único brasileiro competindo, teve direito a inscrição, hospedagem, transporte para o local da prova e alimentação. Ele fez parte de um intercâmbio realizado pela organização da prova, chamado de “famílias receptivas”. Foi hospedado na casa de um atleta, localizada a 5 Km da Faixa de Gaza.

Por sorte, não foi preciso desviar de nenhuma bomba, a Faixa de Gaza não é o principal alvo dos conflitos neste período. “O frio na barriga”, segundo Pangaré, foi saber que estava em meio a outro povo, outra cultura, com uma pronúncia de inglês difícil de ser compreendida.

panga

panga-2

Os trinta e cinco anos de dedicação ao esporte foram determinantes para superar tantas dificuldades. O preparo e a tranquilidade do atleta falaram mais alto e Pangaré bateu o próprio recorde. Nos dois anos anteriores, seu tempo ficou acima de 15 horas. Dessa vez, ele chegou em 14h34 min (ainda não é o tempo oficial, que segundo o maratonista, deve ter cerca de cinco minutos a mais). Foi o feito mais recente de uma maratona maior, da vida. No dia da prova, o atleta não deixou de expressar sua gratidão pelo apoio da Magis:

“Eu gostaria de agradecer a Magis, em particular, ao Deda Studart, por me permitir retornar a Terra Santa, concretizando o sonho de estar presente em uma das provas de deserto mais difíceis do mundo. Sou o único brasileiro na ultramaratona de 100 Km que acontece hoje. Em 2013 e 2014, estive aqui, também como único brasileiro, o que demonstra e comprova o grau de dificuldade da competição. Levarei, com certeza, no meu coração, todo o carinho e toda a afetividade que a Magis tem me proporcionado. Forte abraço.”

panga3

Nós, da Magis, também agradecemos o carinho e comemoramos a sua marca, Pagaré! É muito gratificante fazer parte da sua luta e poder contar uma história que, com certeza, inspirará a muitos, pois mostra que heróis de verdade são forjados no dia a dia, com persistência e garra até os últimos minutos! Parabéns!

11
maio

Dica básica para o ciclista urbano pedalar com segurança: siga o fluxo dos carros!

Como cidadão, você tem todo direito de andar de bike pela sua cidade. Mas também tem deveres importantíssimos, tanto para a sua segurança quanto para a segurança de outras pessoas.

ciclista-urbano-fluxo

Talvez o erro mais comum dos ciclistas urbanos seja pedalar no contrafluxo do tráfego. É muito corriqueiro vermos ciclistas na contramão, mesmo havendo as faixas específicas sinalizadas, mostrando o fluxo correto.

Para ajudar a evitar acidentes que podem acabar abalando uma iniciativa – que é tão saudável para a cidade e para as pessoas – de usar a bicicleta como meio de transporte urbano, elegemos este tema: fluxo e contrafluxo, mão e contramão. Vamos falar sobre isso?

Pedalando no contrafluxo o ciclista tem uma falsa sensação de segurança por estar vendo os demais veículos.  No entanto é comprovado, por várias pesquisas sobre mobilidade urbana e colisões, que a maneira mais segura de pedalar no trânsito é fazer parte do mesmo. Ciclistas que pedalam na mão correta têm em torno de cinco vezes menos chances de colisão em comparação àqueles que não levam o fluxo normal do tráfego em consideração.

Ao perceber um carro vindo em sua direção, o ciclista não tem tempo de desviar, pois suas velocidades são somadas. Estando no mesmo fluxo, o carro chega ao ciclista com a velocidade (relativa) pela metade. A margem para evitar o confronto aumenta muito, o que, em se tratando de proteger sua vida, é sem comparação. De fato, um espelho retrovisor pode dar ao ciclista a visão dos veículos sem comprometer a sua capacidade de reagir a um imprevisto.

Bicihome-ciclista-urbano

O trânsito já é suficientemente complicado, os motoristas nem sempre dão conta de dar a devida atenção a tantos carros e motos e bikes trafegando na mão correta – imagine tendo que cuidar também de surpresas na contramão.

É sabido que cerca de 95% dos acidentes de trânsito envolvendo bicicletas acontecem em cruzamentos. Quando imaginamos um ciclista pedalando na contramão fica fácil entender o porquê, afinal o motorista olha para o lado que os demais carros vêm. Aliás, nem os pedestres contam com um movimento na contramão, o que pode fazer com que o ciclista que pedala no contrafluxo acabe atropelando um pedestre que só queria atravessar a avenida.

A dica, para um convívio saudável entre veículos motorizados e ciclistas é: sigamos todos as mesmas regras; sigamos todos o mesmo fluxo.

ciclista-urbano-sinalizar

Para uma bicicleta ser tratada e respeitada como veículo, precisa portar-se com um, sinalizando suas intenções (de virar à direita ou à esquerda) e respeitando as mãos das vias, os sinais de tráfego e as faixas de pedestre.

E, como se segurança não bastasse, outro fator pode ser levado em consideração na hora de optar por pedalar no fluxo do trânsito: é mais rápido! Sim, buscando as vias de mão certa, preferencialmente com faixas específicas, e sem os contratempos e os pequenos sustos que fazem com que o ciclista acabe freando aqui e ali, o trajeto como um todo acaba ficando mais rápido no final das contas. Faça um teste!

ciclista-urbano-velocidade

As bicicletas chegaram no dia a dia do trânsito da cidade para ficar, e isso é muito bom! Vamos ajudar a divulgar as boas práticas de tráfego e convivência? Nossa ideia é sempre apoiar as iniciativas que buscam melhoria na qualidade de vida, na saúde, na interação entre as pessoas… e as bikes promovem este movimento.

Vida longa aos ciclistas urbanos!

18
out

Tudo de Bom: o triathlon, a boa saúde e uma linda atleta chamada Nicole

* * * * * Update MARAVILHOSO ao nosso post: nicole triatleta magis

* * * * *

–> Nicole de Bom, atleta patrocinada pela Magis Incorporações, conquistou o 1o lugar na categoria 30-34 anos no Ironman Brasil Fortaleza, realizado no último domingo, 8 de novembro. Mais de 1500 atletas participaram do evento, que é considerado um dos principais campeonatos de triathlon do mundo. Nicole é campeã brasileira de triathlon longa distância pela Confederação Brasileira de Triathlon CBTri na categoria 30-34 anos. Ela conquistou a vaga para o Mundial no Hawaii em 2015, onde só participam os melhores triatletas do mundo, tendo fechado a prova com um excelente tempo: 10h59min. <–

Segue abaixo o post original –>

* * * * *

nicole-do-bem-triathlon-magis-2

Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em Educação Física e pós-graduada pela Universidade Gama Filho em Fisiologia do Exercício e Suplementação Esportiva, a triatleta Nicole de Bom atua como personal trainer há 8 anos.

O trabalho é uma das coisas que mais gosta de fazer: “nasci para isso, é meu dom: trabalhar com esporte, proporcionando qualidade de vida às pessoas”.

Atual campeã brasileira de triathlon longa distância pela Confederação Brasileira de Triathlon CBTri na categoria 30-34 anos. Terceira colocada geral no Campeonato Brasileiro 2014 em João Pessoa PB. Classificada para o Mundial 2015 que acontecerá na Áustria, sendo este o terceiro ano consecutivo que se classifica para o Mundial: em 2013 ficou na 19a colocação na França e este ano não pôde comparecer, pois o Mundial foi na China e a atleta não teve apoio para participar.

Agora, a principal meta de Nicole para 2014 é ficar bem colocada no Ironman Brasil Fortaleza, no próximo dia 09 de novembro, evento em que conta com o apoio da Magis. O sobrenome “de Bom”, da família paterna, já diz um pouco sobre o alto astral da atleta, a quem tivemos o prazer de entrevistar:

nicole-do-bem-triathlon-magis-1

Mundo Magis: Como você começou a praticar o triathlon? O que o triathlon representa pra você?

Nicole de Bom: Começei a treinar triathlon pela magia do esporte que invade as ruas de Fortaleza. O triathlon representa para mim uma busca incessante em ser uma pessoa melhor em todos os aspectos da vida. 

Mundo Magis: Quais foram suas principais vitórias neste esporte?

Nicole de Bom: A minha principal vitória no sentido literal foi a conquista do Campeonato Brasileiro na minha categoria, este ano. Mas, na vida, foi ter me tornado uma mulher muito mais forte mental, física e espiritualmente – não é mais qualquer vento que me derruba.

Mundo Magis: Qual a sua visão do triathlon mundial? E localmente, como você vê a evolução deste esporte?

Nicole de Bom: O triatlhon é um esporte relativamente novo, iniciou na década de 70. Agora que está ganhando mais força no mundo, por ser um esporte que, apesar de desafiador, não exclui ninguém. Tem praticantes jovens de 13, 14 anos, assim como idosos de até 80 anos. Isso é muito legal e faz com que todos os atletas possam usufruir dos benefícios desta expansão, conquistando patrocínios, novos lugares para competir, novos formatos de provas, etc… No Brasil demos um salto agora em 2014 com a vinda de mais 2 provas de Ironman, sendo que o Ironman Fortaleza surge como grande novidade.

Mundo Magis: Como cuida de sua saúde e alimentação? Você teria alguma dica para compartilhar com os leitores do Blog?

Nicole de Bom: Eu mesma cuido de minha alimentação, pois tenho larga experiência nisso. Mantenho uma dieta e suplementação bem rigorosa para aguentar a demanda de treinos. A dica é básica, não tem segredo: para se manter saudável e esteticamente bem, você deve praticar exercícios físicos e manter uma dieta equilibrada. Evitar tudo que é radical e buscar ser perseverante e disciplinado.

Mundo Magis: O que você teria a comentar sobre a chegada da Magis à sua carreira?

Nicole de Bom: Realmente foi algo inesperado, que chegou em uma hora maravilhosa, pois o triathlon é um esporte caro, que exige um bom respaldo financeiro. Numa disputa de Ironman, por exemplo, precisamos estar com todos os equipamentos em dia, para andar de igual para igual. Sou muito grata à Magis por confiar em mim e estar me proporcionando esta oportunidade. Espero representar bem a marca e fazer bonito nas pistas.

Mundo Magis: Gostaria de deixar uma mensagem para os leitores do Blog da Magis?

Nicole de Bom: Convido a todos para participarem deste grande evento esportivo internacional que acontecerá no dia 09 de novembro em Fortaleza, com largada no Marina Park à s 7h da manhã. Serão mais de 2 mil triatletas que irão invadir as ruas de Fortaleza, fazendo uma grande festa do esporte, distribuindo garra, força e determinação. Conto com a torcida de todos!